Deputado brasileiro vai ao Uruguai cobrar satisfações sobre legalização da maconha

Capa do El País (Uruguai) de hoje, 4/11/13.

Capa do El País (Uruguai) de 2/11/13.

O senado do Uruguai está prestar a votar o projeto de lei que regulamenta a produção, distribuição e comércio de maconha – a intenção do governo é votá-lo ainda neste mês de novembro. Antes, eles terão que ouvir as queixas de alguns brasileiros.

O deputado Osmar Terra (PMDB-RS), acompanhado de um suboprocurador de assuntos internacionais do RS (?) vão à comissão de saúde do Senado do Uruguai, que discute o projeto. Vão reclamar, é claro. Mas Terra vai por sua conta (com passagens pagas por quem?). Ele não vai lá como representante do governo brasileiro, como sugere a manchete, até porque sua posição pessoal e contrária ao projeto não é a do governo.

E o que o governo diz sobre o projeto? “Isso é algo que é parte de la política uruguaia, cujas decisões cabem exclusivamente aos uruguaios”, disse o secretário nacional de drogas, Vitore Maximiano ao portal 180, do Uruguai. Ele disse ainda que “o Brasil respeita a posição uruguaia e obviamente não vai inteferir nos rumos de sua política”.

Curioso é que, apesar de o jornal dizer que a comitiva brasileira no Senado teria a participação de um “assessor de Dilma” – o secretário de drogas, no caso – o próprio Maximiano desmente a nota. Ele disse que não vai e que “nunca foi convidado nem consultado sobre isso”.

Terra publicou há três semanas um artigo no jornal Zero Hora criticando o projeto uruguaio. Vai ser ouvido no senado, porque o pessoal lá é muito educado e faz parte da boa diplomacia escutar os vizinhos. Mas se os seus argumentos forem os mesmos do artigo, ele vai ter dificuldade em conseguir convencer alguém por lá.

Primeiro porque no seu texto Terra mostrou que não conhece nada do projeto uruguaio nem de como ele está sendo feito. Depois, porque o mesmo texto deixa bem claro que ele mal conhece as evidências de estudos científicos e de políticas alternativas de drogas feitos com a maconha mundo afora. Seus argumentos são risíveis. E esse não é o caso dos políticos uruguaios, que estão estudando o tema com afinco há mais de um ano.

Mas o objetivo primário de Terra não é, certamente, atrapalhar o projeto uruguaio. E sim mostrar-se para o eleitorado daqui – principalmente o gaúcho – como um cabra macho valente disposto a tudo para salvar o povo brasileiro do “flagelo das drogas”.

Terra é autor de um projeto de lei que pretende tornar a cara e ineficaz internação compulsória na principal estratégia de tratamento de dependentes do país e está “em campanha” para aprovar o projeto no Senado. O PL ainda transfere a responsabilidade de cuidar dos doentes para comunidades terapêuticas, cuja maioria  pertence a igrejas e não tem qualquer tipo de qualificação na área, seja médica ou psicológica. Ou seja, a ideia é passar dinheiro público a religiosos para que eles façam o trabalho que deveria ser de médicos.

A ida de Terra ao Uruguai é só mais um de seus esforços para se legitimar como deputado “durão contra as drogas” – perfil ultrapassado até nos EUA, mas que ainda ganha muito votos por aqui – e aumentar as chances de seu projeto.

Acho que o Brasil é um dos principais perigos para o projeto uruguaio – um risco pequeno, mesmo assim. Mas confesso que temia mais uma reação diplomática posterior, baseada em qualquer indício de turismo canábico. Mas o deputado não quer perder tempo.

O que ele não sabe é que seu tiro pode sair pela culatra ou se tornar apenas mais um desperdício de passagens pagas com o dinheiro do contribuinte. Porque, conversando com os políticos uruguaios, sei que eles já previram alguma reação brasileira. E que não vão mudar de ideia por causa de um  deputado brasileiro querendo aparecer.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Deputado brasileiro vai ao Uruguai cobrar satisfações sobre legalização da maconha

  1. Thiago Guima disse:

    esse jornal também… vou te contar. que manchete mais provinciana. além de dar caráter oficial a uma visita personalista e marqueteira, pressupõe que o Brasil poderia interferir em alguma coisa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s